007: O amanhã nunca morre, Roger Spottiswoode, 1997

O ponto alto da Era Brosnan, muito por conta do que já mencionei em outra  crítica. Essa coisa de que os filmes de James Bond sempre são ao mesmo tempo uma resposta para o cinema, para o filme anterior e para um contexto sociopolítico. Aqui, uma amálgama de alusão ao cinema de Hong Kong por … Continue lendo 007: O amanhã nunca morre, Roger Spottiswoode, 1997

críticas dos filmes do 10º Olhar de cinema, o festival internacional de cinema de curitiba de 2021

10º Olhar de cinema de Curitiba

Experimentação, performance, fragmentos de filmagens antigas. O décimo Olhar de Cinema de Curitiba reforça uma posição muito particular e muito singular em se tratando de linguagem e de modernidade audiovisual como foco de sua seleção. É a segunda vez que eu o acompanho a distância e mal posso esperar para cobri-lo in loco a partir … Continue lendo 10º Olhar de cinema de Curitiba

crítica de Thelma e Louise, filme de ridley scott estrelado por brad pitt,susan sarandon e geena davis

Thelma & Louise, Ridley Scott, 1991

O que mais chama atenção no filme é como ele é direto nessa caracterização de homens e mulheres. Na inversão de papéis que vem com o enredo naturalmente. Em vez dos anti heróis que cruzam a América e deixam um bocado de violência no caminho, duas anti heroínas; em vez de uma femme fatale que aplica um golpe, um “homme fatale” interpretado por um Brad Pitt na flor da idade.

crítica de dracula de bram stoker, filme dirigido por francis ford coppola e estrelado por gary oldman, keanu reeves e winona rider

Drácula de Bram Stoker, Francis Ford Coppola, 1992

Deve ser um dos trabalhos mais esteticamente radicais de Coppola, uma das adaptações mais radicais de literatura clássica e ao mesmo tempo uma das versões da lenda do vampiro que mais distorce o gênero. Mas enquanto isso, o que surpreende é o quão óbvias e conscientes são estas escolhas. Literatura britânica vitoriana clássica tratada como... romantismo vitoriano.