crítica de Daddy Longlegs ou Go Get some rosemary, um dos primeiros filmes dos irmãos sadfie

Daddy Longlegs, Josh & Benny Safdie, 2009

É a ansiedade concretizada em cinema. Mas tem uma sensibilidade debaixo disso. Que faz o filme virar um metrônomo que oscila entre o mais desgraçante, difícil, impossível e o mais doce, recompensador, encantador, da paternidade.  Não que os irmãos Safdie tenham concretizado o filme em busca de um retrato assim. Eu duvido. Mas de certa … Continue lendo Daddy Longlegs, Josh & Benny Safdie, 2009

texto sobre o filme o primeiro mentiroso, estrelado por ricky gervais e jennifer garner

O primeiro mentiroso, Ricky Gervais & Matthew Robinson, 2009

Soa muito como uma piada esticada. Até porque é isso mesmo.  Basicamente, Gervais busca aglutinar um bocado de ideias pessoais, céticas, sobre o papel da religião, da mentira e de tudo o que tem ao redor disso, num filme meio singelo até certo ponto. Funciona porque sabe que não quer ser muito mais. Funciona também … Continue lendo O primeiro mentiroso, Ricky Gervais & Matthew Robinson, 2009

crítica de Obsessiva, filme estrelado por Beyoncé e Idris Elba

Obsessiva, Steve Shill, 2009

Visto num mundo pós pós pós moderno, de conectividade pós web, de saturação de qualidade técnica, de exageros de racionalização, de humor baseado em estéticas deliberadamente toscas, Obsessiva é exatamente o tipo de cinema de exploitation que diverte por uma relação afastada de espectador e quaisquer propósitos de seriedade.

Arraste-me para o inferno, Sam Raimi, 2009

A melhor coisa do cinema de Raimi, e não é diferente aqui, é a frontalidade com a qual ele aborda os aspectos do sobrenatural. A explicitação do uso dos efeitos visuais, do gore inventivo que não busca a concretização do sanguinário e da violência, mas dos aspectos repugnantes desse universo.  Casa muito bem, no cerne … Continue lendo Arraste-me para o inferno, Sam Raimi, 2009

Crítica de Sede de Sangue, filme sul-coreano dirigido por Park Chan-wook com Song Kan-Hoo.

Sede de Sangue, Park Chan-wook, 2009

Ainda que tematica e formalmente repetitivo em se tratando da carreira do cineasta, Sede de Sangue é exemplar numa mescla do fantasioso e do erótico estilizados muito próprios do cinema de Park Chan-wook. Fundindo um lado de vampirismo sombrio e junto disso a exploração do arco profano de um padre que se entrega ao pecado, o filme vira um veículo vaidoso para uma série de experiências visuais do realizador.

Os Normais 2, José Alvarenga Jr, 2009

Os Normais 2: A Noite Mais Maluca de Todas, José Alvarenga Jr., 2009

É na primeira vista um resultado mais satisfatório que o filme anterior. Consegue, transpondo uma linguagem mais de TV para o cinema, um riso fácil e uma conexão mais imediata, embora menos perene, com a obra. O preço desses atalhos se converte numa falta de unidade de tema que, mesmo com uma personalidade estética bem definida, se perde numa sensação de um "episódio especial".

Distrito 9, Neill Blomkamp, 2009

Distrito 9, Neill Blomkamp, 2009

Vitrine para um design formidável de criaturas e uma criação de mundo instigante a partir de suas ideias de alegoria social e política, Distrito 9 se perde na tradução estética de tudo. Na falta escolha de que caminho seguir, a obra se torna uma miscelânea de formatos não por traduzir algo de seu tema ou suas ideias numa confusão aparente deliberada mas por não decidir numa ideia de unidade da obra.